sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Por que sentimos fome?

Como sabemos que o que ingerimos foi o suficiente? De forma bastante genérica podemos dizer que possuímos dois sistemas, um quantitativo e outro qualitativo, que regulam aquilo que comemos.

Pense no nosso estômago como um recipiente de volume limitado. Por ele devem passar todos os alimentos para iniciarem o processo digestivo e posteriormente chegarem a sangue. Quando comemos, a forma de avaliar a quantidade de alimento ingerida se dá pela ocupação física do estômago, como se estivéssemos enchendo um balão. Esse mecanismo de ocupação gástrica recebe vários nomes como plenitude gástrica ou saciação.

O segundo processo é mais complexo e envolve a avaliação da qualidade do alimento ingerido, em vias gerais, por meio de avaliações da composição sanguínea após o consumo dos alimentos. Assim, quando se deixa de comer um determinado nutriente, é comum que esse mecanismo aja de maneira incompleta. Um exemplo disso é o famoso “bife e salada”: tão logo acabamos de realizar essa refeição rica em proteína, gordura, vitaminas e sais minerais – porém pobre em carboidratos –, sentimos aquela vontade de comer um doce (que pela culpa chamamos de “docinho” no diminutivo). Isso acontece porque nosso organismo sentiu a ausência do carboidrato, ou melhor, sentiu que a glicemia (concentração de glicose no sangue) pouco se alterou após a refeição, diferentemente das concentrações de lipídios (provenientes da gordura), aminoácidos (provenientes da proteína), vitaminas e sais minerais. Esse segundo mecanismo recebe o nome de saciedade a qual ficou incompleta no exemplo apresentado.

É importante ressaltar que na maioria das vezes paramos de comer pela ação do primeiro mecanismo, pela sensação de estomago cheio, uma vez que o segundo mecanismo leva mais tempo para agir. Nos dias de hoje fazemos as refeições cada vez mais rápidas, com pressa, não há tempo suficiente para que o organismo comece a digerir os alimentos, os nutrientes sejam absorvidos, atinjam a circulação sanguinea e o corpo perceba que foi alimentado e então envie um sinal avisando que podemos parar de comer. Paramos porque ocupamos o espaço físico do estomago e isto, muitas vezes, nos leva a comer mais do que nosso corpo precisa. É muito comum após alguns minutos que paramos de comer aquela sensação: nossa comi demais!


Fonte: Nutritips

Um comentário:

  1. legal o post! eu como muito rápido e demais!! ainda bem que gasto bastante tb!!

    ResponderExcluir